A história acerca da pirataria dos videojogos no Brasil

Uma história acerca da pirataria dos videojogos no Brasil. São três episódios:
Episódio 1 – Arcades Improvisados
“Com as máquinas de pinball da Taito, a indústria dos games no Brasil teve seu começo nas lojas sujas do centro de São Paulo e nas fábricas poluídas do Amazonas. Isso marcou o início de uma cultura gamer recheada de adaptações e clones nacionais muitas vezes criados às margens da lei.”
Episódio 2 – Consoles e jogos nacionais
“O Brasil passa a ter não só um mercado estável, mas também os primeiros jogadores. O lance é que grandes empresas, como a Nintendo, não estavam oficialmente no país. Então, alguns empreendedores começaram a criar os primeiros emuladores: produtos nacionais que eram adaptações de games e consoles populares. Como o Master System, da TecToy, e o Phantom System, da Gradiente.”
Episódio 3 – Modificações e o começo do eSports
“Na virada dos anos 2000, com os cartuchos dando lugar aos CDs e DVDs, a cultura de games no Brasil teve uma febre modder. Patchs de jogos mainstream como Winning Eleven (PlayStation 2) e Counter-Strike (PC) eram mais populares que os games originais, fazendo empresas como Microsoft e Sony finalmente chegarem oficialmente ao país. Também foi o começo da cultura de eSports no Brasil.”

+infos(fonte): LINK , pela RedBull

Tags :